WhatsApp lança novo aplicativo para pequenas e médias empresas

O aplicativo de mensagens instantâneas WhatsApp lançou nesta quinta-feira, 14, um novo aplicativo para uso exclusivo para pequenas e médias empresas. Chamado de WhatsApp Business, ele traz diversos recursos que permitem que as pessoas que fazem negócios por meio do serviço, que tem 1,3 bilhão de usuários em todo o mundo, possam gerenciar as mensagens de clientes. No lançamento, o aplicativo será disponibilizado de forma gratuita para usuários de seis países: Estados Unidos, Indonésia, Itália, México e Reino Unido. Ele deve chegar ao Brasil nas próximas semanas.



A nova versão tenta resolver um problema clássico na vida de empreendedores: se por um lado o app facilitou o contato com os consumidores, por outro ele tornou ainda mais cinzenta a linha entre a vida pessoal e profissional. “As mensagens automáticas quando estou fora do horário de expediente são ‘um adianto'”, disse ao Estado Brunório Serafini, sócio da Gráfica Comercial, que fica na cidade de Colatina, no Espírito Santo. Segundo ele, era comum receber mensagens de clientes pedindo orçamentos após as 22 horas.

No novo aplicativo, além de configurar mensagens automáticas para “lembrar” o cliente sobre o horário de funcionamento da empresa, o profissional pode criar mensagens automáticas para perguntas frequentes e também para dar as boas-vindas no primeiro contato com a empresa. “Consigo dar uma resposta ao cliente, mesmo se estou sem o celular”, diz o fotógrafo Fabiano Cardox, que atua no Rio de Janeiro. “Isso tem melhorado o relacionamento com eles.”

Tanto Cardox como Serafini testam os recursos do WhatsApp Business há cerca de três meses, quando a empresa norte-americana começou a disponibilizar alguns novos recursos apenas para cadastrados em seu programa beta.

Além das mensagens automáticas, as pequenas e médias empresas que usarem o novo app poderão criar uma página de perfil, com informações como e-mail e endereço. Será possível também criar uma conta no WhatsApp com um número de telefone fixo — hoje, qualquer usuário do WhatsApp precisa ter um número de celular ativo para usar o serviço.

Segundo o WhatsApp, os profissionais também terão acesso à métricas de uso do serviço, como o número de mensagens lidas ou respondidas por meio do aplicativo. “Numa atualização mais recente, eu pude associar as mensagens a tags (palavras-chave)”, conta Serafini. “Agora, eu consigo pesquisar as mensagens e identificar se deixei de dar retorno a alguém.”

O WhatsApp revelou que testava uma versão do aplicativo para empresas em outubro do ano passado, quando anunciou que algumas grandes empresas já estavam utilizando o serviço para se comunicar com seus clientes, como o banco Itaú e a companhia aérea KLM.

Contudo, em entrevista ao Estado, o diretor global de operações do WhatsApp, Matt Idema, afirmou que a tecnologia oferecida para pequenas e médias empresas é diferente das oferecida para grandes empresas. Segundo ele, as grandes empresas usam o WhatsApp Enterprise, que permite que elas conectem seus sistemas de gestão do relacionamento com o cliente (CRM) com o aplicativo de mensagens instantâneas por meio de interfaces de programação de aplicativos (API).

“As empresas enfrentam alguns desafios importantes quando usam o WhatsApp para fazer negócios, entre eles a quantidade de mensagens para gerenciar”, afirma Idema. Segundo o executivo, atualmente 87% dos pequenos e médios negócios utilizam o WhatsApp para fazer negócios, de acordo com pesquisa recente conduzida pela empresa no País. Idema não revela a quantidade de empresas que estão atualmente usando as versões para empresas no mundo e no Brasil.

As versões do WhatsApp para empresas são a alternativa encontrada pela norte-americana — que é propriedade do Facebook — para conseguir lucrar no futuro. O cofundador e presidente executivo do WhatsApp, Jan Koum, já afirmou que não está nos planos da empresa adotar o modelo de exibição de anúncios para financiar sua operação. Ainda assim, porém, a companhia reafirma que o WhatsApp Business será gratuito “para baixar e para usar” ao menos por enquanto. “É muito cedo para falarmos em modelo de negócios”, disse Idema, quando questionado sobre o assunto. “Está nos nossos planos cobrar para que as empresas usem o WhatsApp, mas não temos nada a anunciar por enquanto.”

Segundo o executivo, não está nos planos da empresa “obrigar” os empreendedores a usar o WhatsApp Business em vez da versão original do aplicativo de mensagens instantâneas. O executivo acredita que a migração acontecerá ao longo do tempo, conforme os profissionais entenderem como os novos recursos podem ajudá-los.

O anúncio empolgou os investidores do Facebook nesta quinta-feira: após a revelação do WhatsApp Business, as ações da empresa operavam em alta de 1,4%, sendo cotadas na bolsa de valores Nasdaq a cerca de US$ 180.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags

© 2020 por Magna Assessoria e Consultoria em Licitações Públicas